Grandes Decisões sobre Pessoas em dica de livro do Estadão

O livro Grandes Decisões sobre Pessoas foi sugerido pelo caderno Emprego do jornal O Estado de S. Paulo.
Segundo o jornal,
“Em Grandes Decisões sobre Pessoas (DVS Editora), Claudio Fernández-Aráoz aborda a importância de escolher os profissionais. Em meio à crise econômica mundial, por exemplo, diz, muitas empresas quebraram também pela incapacidade de contratar ou promover pessoas que soubessem interpretar a situação e amenizar a crise.

Técnicas para seleção de candidatos: A Entrevista

DVS, DVS Editora, Blog do Editor, Livros Online, CarreiraA entrevista é a técnica mais freqüentemente usada para avaliar pessoas. No entanto, a maioria delas é ineficaz, na melhor das hipóteses. Pesquisas indicam que em uma entrevista comum — cujo objetivo, na verdade, é obter informações sobre o candidato —, o entrevistador tende a dominar a maior parte da conversa.

Por Claudio Fernández-Aráoz.

Entrevistas ineficazes

Isso tende a ocorrer quando o entrevistador tenta vender a organização e o cargo ao candidato. Porém, obviamente, isso é o mesmo que colocar o carro à frente dos bois. Nessa etapa, a meta é reunir informações suficientes sobre o candidato para calcular se ele é capaz de desempenhar seu novo cargo promissoramente. Mais tarde, quando tiver certeza de que tem à sua frente o candidato correto, você pode começar a tentar vender o cargo.

Normalmente, as entrevistas comuns são bem desestruturadas. Não costuma haver uma pesquisa com respeito às competências a serem avaliadas e as perguntas a serem levantadas. Por esse motivo, sua validade é diminuta — em torno de 0,3 —, o que significa que menos de 10% da variação no desempenho no novo cargo pode ser explicada por essa avaliação. Entretanto, como explicarei a seguir, adotar a estrutura adequada pode mais do que duplicar a validade da entrevista correta, tornando-a a melhor técnica de avaliação, especialmente para cargos complexos de alto nível hierárquico.

Continue lendo

Contratação de pessoas: quais são os riscos da integração?

DVS, DVS Editora, Livros Online, Negócios, Blog do Editor, Empresas, ContrataçãoIntegrar um novo diretor no ambiente de trabalho é desafiador e envolve riscos. Porém, se o candidato contratado for o certo, um processo bem planejado, fundamentado na colaboração eficaz entre o diretor e a organização, pode não apenas ajudar a minimizar esses riscos, mas também acelerar o processo de integração e posicionar o novo executivo para que acentue ainda mais seu desempenho.

Por Claudio Fernández-Aráoz.

Os novos contratados precisam tomar conhecimento dos fatores envolvidos na nova função. Se vierem de fora, precisam entender a nova cultura corporativa em que estão ingressando (quase nunca uma missão fácil!). Precisam desenvolver ou rever relacionamentos com pessoas fundamentais.

Eles são observados de perto o tempo todo. A confiança (ou a falta dela) que têm em seu próprio taco ao fazerem seus primeiros movimentos cria percepções indeléveis sobre seu potencial de produzir os resultados esperados. O júri está reunido e o veredicto será anunciado.

Continue lendo