O autor Eduardo Zugaib apresenta “A Revolução do Pouquinho” para todo o país no programa Mais Você

Nesta segunda (12/01/2015), o escritor e palestrante Eduardo Zugaib participou do programa Mais Você, da TV Globo, para falar sobre seu livro “A Revolução do Pouquinho”. O autor conversou com os apresentadores Cissa Guimarães e André Marques, que estão cobrindo as férias de Ana Maria Braga, sobre como empreender mudanças profundas e duradouras em sua vida.

Zugaib descarta as efêmeras promessas de ano-novo e revela que as verdadeiras mudanças não vêm de uma hora para outra. É preciso ter iniciativa e, mais do que tudo, disciplina para levá-las adiante – sempre um pouquinho de cada vez.

CONFIRA AS DICAS DO AUTOR:
Clique aqui para assistir ao programa!

SAIBA MAIS:
Para saber mais do assunto e, porque não, aplicar os conceitos da revolução do pouquinho à sua vida, acesse a página do livro em nosso site. Lá você poderá ainda ler um trecho da obra gratuitamente!

O fator “Uhuuuu”! – texto de Branca Barão publicado no portal Carreira & Sucesso

Branca Barão - PalestranteJá percebeu como reclamação é um bichinho que tem facilidade em se reproduzir? Reclamação é um bicho que se reproduz sozinho e o filhote já nasce grande, geralmente maior que a reclamação mãe. Uma única reclamação é suficiente para quem a ouviu já reclamar na sequência. Aí o outro faz o mesmo e mais alguém já sai reclamando também.

– Compre o livro 8 ou 80, de Branca Barão

 

Quantas vezes não presencio uma verdadeira competição de quem reclama mais:

– Estou gripada!

– Eu também, mas a minha já faz uma semana e não vai embora!

– Uma semana? Estou com o corpo todo dolorido há 10 dias…

– Mas você tem enxaqueca também?

– Ah, eu estou com enxaqueca e febre!

– Vixi, e eu?! Mal consigo abrir os olhos…

É competição de que? De quem está sofrendo mais?

Penso que é na verdade, uma simples busca por atenção. Somado a uma dificuldade de pedir a tal atenção.

É raro alguém chegar pra você e dizer:

– Me diz que estou linda hoje!

Ou:

– Me conte minhas qualidades por favor, que estou meio pra baixo.

Ou ainda:

– Alguém pode me dar atenção por favor que estou carente!

Seria tão mais produtivo!

Por isso decidi, no início desse ano, que minha promessa principal seria bem simples e muito fácil de cumprir, diferentemente daquelas promessas praticamente impossíveis que costumamos fazer a cada Réveillon!

Eu decidi que vou colocar um “Uhuuu!” em cada coisa boa que acontecer comigo esse ano.

Quando falo de “cada coisa boa” não estou dizendo sobre ganhar na mega sena, ser promovida, fechar um super projeto, lançar um segundo livro. Nada disso! Falo sobre aquelas pequenas, (que de tão pequenas costumam passar despercebidas, sabe?) realizações como: dormir um pouco mais no final de semana, assistir a um filme no sofá com meu cachorro, numa tarde fresquinha e chuvosa, os primeiros raios de sol que chegarem morninho e aconchegante pela manhã me mostrando que estou na hora certa, no lugar certo, cada novo leitor do “8 ou 80″ que eu conquistar, cada sorriso do meu filho, cada coisa gostosa que eu comer, cada sorvete que eu tomar (se for de um sabor diferente então, merece dois “uhuus!”), cada piada engraçada que me contarem, cada aplauso que eu receber em cada palestra que eu der e “ufa!!!” a lista é enorme e não para por aí.

Aliás, para. Somente se eu mudar meu foco para aquilo que tenho para reclamar.

São duas direções distintas e tenho certeza que a direção que eu decidir manter meu foco por mais tempo terá uma lista maior. Seja de coisas para reclamar ou de coisas “uhuuu!”

Vou te contar o momento em que me deu essa ideia “uhuuu”: Passei a segunda semana do ano na praia e caminhando pela areia, quase chegando nas pedras uma menina ruivinha com seus 6 ou 7 anos, que chegava com a mãe, vem correndo em direção ao mar e quando chega um pouco mais perto da água grita, cheia de energia: Vou brincar na água! Uhuuuuuu!!!

Aquela cena me fez olhar em volta e perceber a sobriedade dos adultos em volta, mesmo que em um momento de lazer com a família. Muitos sorriam, nenhum gargalhava. Muitos pareciam animados, nenhum nitidamente entusiasmado. Crianças erravam adoidado, sendo derrubadas pelas ondas, pelas pranchas, pelas boias, adultos brincavam como adultos com suas crianças, no máximo. Fiquei por algum tempo pensando: O que falta?

E finamente descobri! O fator “Uhuuu”…

Se cada adulto tivesse colocado um simples “Uhuuu” no que estava fazendo: Vou comprar um sorvete uhuuu! Vou jogar frescobol uhuuuu! Vou brincar com meu filho uhuuuu! Aposto que eu teria visto uma cena diferente naquela praia. E que eu também veria uma cena diferente da “rotina nossa de cada dia”, e do trânsito , e nas empresas, nas plateias, nos restaurantes, e nas famílias.

Mas isso não é tão simples quanto pode parecer, pois o “Uhuuu” tem dificuldades de reprodução, é medroso, se esconde ou foge por qualquer razão, é envergonhado e se uma reclamação aparece, ele desaparece de vez. Um “uhuuu” dificilmente ganha de uma reclamação,  por isso é preciso ser teimoso e enfrentar o mundo reclamão que muitas vezes encontramos lá fora.

Mas vale a pena insistir, sabe por quê? Eu aposto que valorizar as pequenas coisas é o segredo. Assim não temos que esperar grandes realizações para finalmente sermos felizes e dá para ficarmos felizes agora mesmo. Uhuuuuu!!! Viu que fácil?!

É só você não deixar o efeito ”uhuuu” se perder pelo meio do caminho! E olha que nós já estamos em março, já é quase o meio do caminho. É aqui que as promessas de Réveillon se perdem e os sonhos perigosamente podem decidir esperar o próximo ano.

É só você não esquecer de procurá-lo em cada pequena coisa que acontecer ou que você conquistar! E 2013 ainda tem tempo de tantas realizações…

É só você lembrar que colocar o “uhuuu” é uma decisão de cada um, mesmo parecendo ser uma sorte!

Muito, mas muito mesmo, “UHUUUUUUU!!!!” pra você!

Fonte: O fator “Uhuuuu”! | Portal Carreira & Sucesso

5 dicas para dar um upgrade na carreira profissional durante as férias

Marcia Luz, autora do livro “Agora é pra valer!” (DVS Editora), participa da matéria produzida pela jornalista Luciana Quierati para o UOL. Marcia contribui com dicas sobre como utilizar o período de férias a favor da carreira profissional. Leia os principais pontos abaixo (texto completo disponível aqui).

O descanso é merecido, importante e deve ser respeitado, mas não o impede de buscar um upgrade ou dar início a uma mudança de comportamento que influencie na vida profissional. Seja em julho, no fim do ano ou em qualquer outro período de férias: aproveite a ocasião para investir na carreira.

“Férias é um período para começar ou intensificar algo, e não apenas para fazer e parar, sem dar continuidade”, diz a psicóloga e professora Marcia Luz, que também é coach executiva e pessoal, autora do livro “Agora é Pra Valer” (DVS Editora), sobre como liderar pessoas.

Para alavancar a carreira nas férias

Segundo Marcia, essa “mudança” pode se referir, por exemplo, à leitura. Para quem não lê nada ou quase nada, é o momento para adquirir o hábito. Isso porque a leitura, segundo a coach, é um ingrediente fundamental para quem quer crescer profissionalmente.

“A leitura amplia a visão de mundo, dá fluência verbal, aumenta vocabulário e trabalha nas correlações. Em uma entrevista de emprego, o candidato que lê é capaz de abordar assuntos diversificados, conferir mais subsídios às suas argumentações e, com isso, impressionar mais o avaliador”, explica.

Cursos – Faça cursos de férias ou de curta duração

Faça ou inicie um curso. Universidades e instituições oferecem vasta gama de cursos de curta duração ou a distância, que podem ser na área de atuação do profissional, para atualização e aperfeiçoamento, ou em área diferente, que acrescente cultura ou conhecimento mesmo que em função de um hobby.

A BM&FBovespa, por exemplo, oferece curso de finanças pessoais gratuito com duração de 4 a 6 horas. Um intensivo de línguas é outra dica. Se for fora do País, melhor ainda.

Livros e filmes – Adquira o hábito da leitura e assistia a filmes

Filme - À procura da felicidade

Se você já tem o hábito de ler, leia mais nas férias. Se não o tem, o adquira nesse período. Um livro por mês, doze por ano, é o mínimo aceitável. E se a desculpa é a falta de tempo, a psicóloga e coach Marcia Luz diz que dez minutos por dia são o suficiente para se terminar um livro ao final do mês.

Ela indica ainda assistir a filmes como “À Procura da Felicidade”, com Will Smith, e dá a dica: “Sempre que for escolher o filme, faça a pergunta: ele vai me transformar numa pessoa melhor ou pior? Se for a primeira, bom. Do contrário, se for um filme que não agregue nada, não perca tempo”.

Viagens – Viaje para ampliar sua visão de mundo

Mala de viagemViajar amplia os horizontes, a visão de mundo. Amplia o repertório cultural, dá ideias, faz conhecer hábitos diversos e saber o que se passa na cabeça de pessoas como nós, porém distantes de nós.

Segundo Marcia Luz, não há espaço para “enxergar o mundo muito pequenininho” quando o assunto é expandir-se profissionalmente falando. “A pessoa terá maior facilidade depois de passar por uma experiência assim”, diz a coach.

Viagens fornecem subsídios para a conversação com o avaliador e permitem impressionar tanto a ele como o chefe da área para a qual a pessoa pretende migrar. E, claro, um profissional com maior conhecimento tem mais chances de subir de cargo.

Currículo – Refaça o currículo e procure novas oportunidades

O período de férias pode ser o momento para repensar a vida profissional e abrir-se à possibilidade de tentar vaga em outra empresa. Por isso, é hora de atualizar o currículo, de preferência em uma página, só com informações relevantes, e ir até as empresas, levando-o em mãos.

Diga que quer conhecer o ambiente e pergunte se pode fazer uma entrevista. Mas se você vê oportunidade dentro da empresa em que trabalha, porém em outra área, prepare-se para ela, se informe, e vá atrás.

Networking – Aumente sua rede de relacionamento

NetworkingAproveite as férias para procurar com calma grupos de discussão na área desejada, conhecer pessoas online, dar mais atenção aos amigos já adicionados, etc. Mas também não se esqueça do tête-à-tête.

Interaja com a comunidade, se torne uma pessoa conhecida entre seus líderes, faça trabalhos voluntários. “Quando surgirem oportunidades, você será lembrado”, diz Marcia Luz.

Prefira ambientes socializados, em vez de ficar em casa, entre quatro paredes. Vá a uma biblioteca, uma livraria, um café. “O importante é ver gente diferente, cumprimentar, se falar, mesmo que de forma rápida”, diz.

Por fim, amplie o contato com profissionais que atuam na área de interesse. Visite-os em seus locais de trabalho, para saber como realmente a coisa funciona. “Às vezes, se escolhe a profissão sem nunca ter visto o dia a dia daquilo”, observa.

Marcia Luz fala sobre a importância de uma pós-graduação na vida profissional

Em entrevista concedida ao portal Administradores.com, Marcia Luz fala sobre a importância de uma pós-graduação na vida profissional. A autora do livro “Agora é pra valer!” reforça a importância dos estudos, mas além disso, destaca a capacidade de se autodesenvolver como ponto-chave para o sucesso, já que é isso que as empresas buscam atualmente na hora da contratação.

Leia abaixo o texto na íntegra. Para visualizá-lo na página original acesse aqui.

Marcia LuzA experiência e o aprendizado obtidos nos bancos das universidades já estão longe de ser suficientes para garantir o posicionamento dos profissionais no mercado de trabalho. As instituições públicas de ensino por vezes voltam os seus programas para o desenvolvimento acadêmico e produção de conhecimento científico, sem calejar os alunos para a carreira na iniciativa privada.

Com isso, um curso de pós-graduação pode ser uma alternativa essencial. Nos últimos anos, têm surgido no Brasil não apenas novas – e credenciadas – escolas de MBA e especialização, mas também novas alternativas e modalidades de cursos. O objetivo é atender a uma demanda de profissionais que já atuam no mercado, e não têm tempo nem tanta disposição para enfrentar as fileiras da sala de aula.

Em entrevista ao Portal Administradores, Márcia Luz, especialista em RH e autora do livro “Agora é pra valer: a verdadeira história de quem passou de chefe dos outros a líder de si mesmo” (DVS Editora), dá as dicas para quem vai buscar a primeira pós. “A primeira providência a tomar é decidir quais são seus planos profissionais”, sugere. É bom selecionar bem os critérios e lembrar que o objetivo do aprendizado é buscar conhecimento em primeiro lugar, e não simplesmente um título.

Qual o impacto de uma especialização na carreira de um profissional?

Estamos na Era do Conhecimento. Não existe mais data para encerrar os estudos, como fizeram nossos pais e avós. Você será um estudante até os últimos dias de sua vida. Se fará isso através dos caminhos acadêmicos ou será um autodidata, a opção é sua, mas parar de estudar, definitivamente não é uma escolha inteligente para quem quer ter espaço nas Organizações do século 21. Neste sentido, cursos de especialização são uma excelente opção.

Quais são os critérios que um profissional deve levar em conta ao escolher uma pós graduação?

A primeira providência a tomar é decidir quais são seus planos profissionais, pois de acordo com a resposta, o tipo de pós graduação que você fará será diferente. Se sua intenção é conquistar um cargo de comando numa companhia, pense na possibilidade de fazer um MBA. Se o seu objetivo é aprofundar conhecimentos e melhorar o desempenho profissional, procure uma especialização específica. Agora se você pretende seguir a carreira acadêmica é indispensável cursar um mestrado e doutorado.

Agora para saber em qual instituição de ensino realizar o curso pesquise o mercado, converse com pessoas que já participaram, avalie a ementa das disciplinas. Você tem inclusive possibilidades de bons cursos à distância, caso seus horários não permitam voltar a frequentar bancos escolares.

O profissional deve fazer uma pós apenas para incrementar o currículo, ou porque é “uma exigência do mercado”?

Pelos dois motivos. Como eu já disse, não existe mais a possibilidade abandonar o caminho do aperfeiçoamento profissional e acreditar que será possível conquistar boas posições no mercado de trabalho.

Qual o momento mais adequado na carreira para o profissional optar pela pós? Assim que termina o curso, ou um pouco mais de experiência é indicado?

Uma vez que o profissional estará se reciclando continuamente ao longo de toda a sua vida, não existe mais uma data específica para realizar sua primeira pós-graduação. Sugiro, porém que ele já esteja no mercado de trabalho, pois assim aumentarão suas chances de escolher um caminho que complemente o que ele já faz profissionalmente.

Como os departamentos, consultorias de Recursos Humanos e headhunters enxergam esse diferencial?

Pós-graduação não é mais diferencial, é quase que o mínimo esperado. O que os selecionadores observarão é se existe no candidato a atitude de buscar aprender mais e mais, seja através dos caminhos escolares ou sendo um assíduo leitor de livros.

O que o mercado espera de um profissional com especialização?

O que o mercado espera é poder contar com profissionais que busquem o auto-desenvolvimento o tempo todo, pois o mundo assumiu uma trajetória acelerada de mudanças. Os paradigmas do passado não servem mais e as Organizações de sucesso serão aquelas capazes de se reinventar constantemente.

 

07 dicas para uma carreira de sucesso

Consultores apontam os principais ingredientes para o alcance dos seus objetivos profissionais.

Por Rômulo Martins, do site empregos.com.br

Sucesso profissional não se alcança da noite para o dia, é preciso um planejamento de carreira estruturado e estratégico para chegar lá. Ou seja, não existe mágica, mas alguns ingredientes são fundamentais e podem ser determinantes no alcance dos seus objetivos. O Empregos.com.br consultou especialistas para descobrir quais são eles. Confira.

1. Tenha paixão pelo que você faz
Não faz sentido optar pelo Emprego (assim mesmo, com E maiúsculo). O que é bom para um executivo de sucesso pode não ser para você. É preciso trabalhar com prazer. “O emprego ideal reúne o que você sabe fazer com o que você gosta de fazer”, afirma a consultora Lia Fonseca, sócia da Volare RH. “Quando você realiza um bom trabalho é bem remunerado por isso.”

2. Tenha clareza dos seus objetivos
Ao menos no médio prazo, é fundamental conhecer claramente os seus objetivos e traçar planos para alcançá-los. Ter objetivo é ter motivação. “É o objetivo quem mobiliza as ações”, diz o consultor Claudio Queiroz, autor de “As competências das pessoas” (DVS Editora).

3. Fique antenado nas tendências e no mundo
O profissional de sucesso deve compreender quais mudanças a economia ou as relações políticas internacionais podem provocar em sua carreira. O movimento de expansão econômica de um país sul-americano, por exemplo, pode indicar a importância do aprendizado da língua espanhola.

4. Seja perseverante
A área com que você se identifica pode não estar em evidência no mercado de trabalho, razão pela qual poderá ter dificuldades de encontrar oportunidades ou levar mais tempo para alavancar a carreira. “O profissional não deve desistir da carreira com que se identifica por causa das dificuldades. Avalie suas finanças e, se for o caso, faça uma opção provisória para, no futuro, alcançar seu real objetivo”, recomenda a consultora Lia Fonseca.

5. Construa uma rede profissional
Ser bem relacionado e lembrado no mundo dos negócios também é condição para o sucesso, diz Lia. Além da troca de informações, a rede de relacionamento profissional pode proporcionar grandes negócios. “Usufrua efetivamente dos cursos e eventos corporativos em sua área de atuação. E não se esqueça de apresentar o seu cartão de visitas”, orienta a consultora.

6. Tenha foco em resultados
Não espere ser promovido para sugerir ideias ou colocá-las em prática. O consultor Claudio Queiroz atesta que o foco em resultados é um dos principais fatores de aceleração da carreira. Por isso a importância de saber qual é o seu melhor talento e onde poderá usá-lo. “Às vezes o profissional não dá muito crédito ao que verdadeiramente sabe fazer de melhor. Mas é descobrindo o seu ponto forte que você vai se destacar”, afirma Queiroz.

7. Escolha um mentor
Identifique quem pode lhe transferir as melhores experiências no universo empresarial. Depois, seja parceiro do seu “mentor”. Queiroz aconselha criar vínculo com um profissional que saiba dar feedback de maneira positiva. “Não adianta pedir conselho a uma pessoa que diz que você está bem, quando na verdade você não está adequado ao ambiente.”

LEITURA RECOMENDADA:
+ Conheça o livro O Elo da Gestão de Carreira, de Cláudio Queiroz

Profissões do Futuro

Especialistas apontam quais são as áreas promissoras da atualidade e dos próximos anos.

Por Rômulo Martins, publicado originalmente em empregos.com

Enquanto algumas profissões chamam pouca ou nenhuma atenção no mercado de trabalho outras ganham força e status e demandam grande número de profissionais qualificados. É o caso de atividades ligadas à indústria petrolífera e de gás. “A procura por profissionais nessa área está relacionada à descoberta do pré-sal”, aponta o consultor de carreiras Nelson Fender.

Outra área em alta é a de engenharia civil, que hoje lida com a escassez de mão de obra qualificada. Pesquisa realizada pela Fundação Getúlio Vargas aponta que, apesar do aumento da escolaridade e dos salários, apenas 17,8% dos ocupados na construção frequentaram curso de educação profissional.

“A formação tecnológica na área de engenharia civil é bem vista no mercado. Algumas empresas até patrocinam o curso tamanha a escassez de mão de obra na área”, afirma o consultor Fernando Montero da Costa, diretor de operações da Human Brasil.

A demanda por profissionais na área da construção está sendo puxada pelo boom econômico e pela Copa do Mundo 2014 e Olimpíadas Rio 2016. Turismo e hotelaria são outros campos aquecidos pelos eventos esportivos de nível mundial a serem realizados no Brasil. “Turismo é uma área interessante com poucos profissionais qualificados”, diz Costa.

No entanto, mesmo que essas atividades sejam uma promessa no mercado de trabalho, Fender alerta que a pessoa não deve se pautar apenas por este item na escolha da carreira. “São três os pilares que sustentam a escolha: o autoconhecimento, como o mercado vê a atividade e os interesses e aptidões individuais para seguir a profissão.”

Outras áreas
Segundo Nelson Fender, a área de tecnologia da informação continua em destaque, já que todo procedimento empresarial depende da tecnologia. Entra aqui todas as atividades providas dos recursos da computação, como a programação web. “O mercado paulista está apurado nesse campo. As empresas do ramo tendem a investir em outros Estados.”

Atividades ligadas ao público idoso, de acordo com Fender, também são promissoras, uma vez que a população idosa no Brasil vem aumentando. Entre elas, a de gerontologista (profissional que estuda os fenômenos do envelhecimento humano), home care (profissional da saúde que trata o paciente nas residências) e cuidador de idosos.

Na lista das profissões em alta estão atividades na área de entretenimento. “A tecnologia entra para facilitar a vida das pessoas, que acabam tendo mais tempo para se divertir. Além disso, a renda do brasileiro aumentou e o país está crescendo”, afirma o consultor Nelson Fender.

Cláudio Queiroz, consultor empresarial e autor de “As competências das pessoas” (DVS Editora), considera promissoras todas as profissões que não podem ser substituídas pela máquina. “É extremamente importante que a pessoa faça uma pesquisa criteriosa sobre a relação da profissão com o talento individual. Se destacará quem usar seu talento na profissão escolhida.”

Área técnica
Segundo o consultor Fernando Montero da Costa, faltam especialistas no mercado. O consultor afirma que os cursos de tecnologia costumam proporcionar boas oportunidades de carreira. “São cursos de curta duração e uma certeza de recolocação no mercado.” Além das áreas já mencionadas, Costa destaca como prósperos os segmentos de engenharia de produção, mecatrônica e robótica.

 


 

Aumenta polêmica sobre aquecimento do planeta

Aquescimento Global, Planeta Azul em Algemas Verdes

A preocupação ambiental é movimento justo, em defesa da natureza e do ser humano, ou uma ação política contra a industrialização de países emergentes?

artigo publicado originalmente por S. Barreto Motta em Momento Mercantil.

O tema se torna cada vez mais polêmico. O presidente da República Tcheca, Václav Klaus, aborda o problema, sem papas na língua, no livro Planeta Azul em Algemas Verdes, que está sendo lançado no Brasil. Afirma que o ambientalismo é “ideologia semelhante à religião”. “O problema do aquecimento global tem bem mais a ver com as ciências sociais do que com as naturais, mais com economia do que com climatologia, mais a ver com o ser humano e sua liberdade do que com um aumento na temperatura média global em alguns décimos de grau Fahrenheit”, afirma.

Para ele, o aquecimento global tornou-se um tópico extremamente controverso. Dos dois lados do Atlântico, o debate transformou-se numa guerra cultural contra a liberdade econômica. Por isso é necessário que pessoas defendam a liberdade de se renovar tal debate, e assim demonstrar como pessoas livres podem lidar melhor os desafios que enfrenta a civilização. Acrescenta: “A coerção do politicamente correto, mais severa do que nunca, está ficando cada vez mais forte, e só há espaço para uma verdade, a qual é, mais uma vez, imposta a todos nós”. Em Planeta Azul em Algemas Verdes, o presidente tcheco recorre a estudos de cientistas para afirmar que diversas atividades econômicas não são causadoras das mudanças climáticas.

Continue lendo

Uma voz destoante sobre a questão climática

Vaclav_Klaus

Sim caros leitores, surge no horizonte uma liderança que tenta marchar na contra corrente dos conhecidos “lugares comuns” sobre a questão climática e seus efeitos.

Por Gustavo Chierighini, postado originalmente em baguete.

Evidentemente não se trata da única voz dissidente, mas dessa vez é a de um chefe de estado. O Sr. Václav Klaus, presidente da República Tcheca.

Sua abordagem virá em forma de livro, a ser lançado no Brasil nos próximo dias pela DVS Editora, com o título Planeta Azul em Algemas Verdes.

“O que está em perigo: o clima ou a nossa liberdade?” é com esse questionamento que o autor abre o seu livro, no qual discute o aquecimento global colocando em questão a postura imposta ao ser humano e que lhe talha a liberdade. “O ambientalismo é uma ideologia semelhante à religião”, diz ele.

No seu livro, o líder Tcheco não questiona a existência de um processo de alteração do clima, mas discorda da amplitude dada ao problema.

Continue lendo

Sobre as empresas que simplesmente confiam em seus clientes

empresa confiam

Uma companhia de chá gelado nos deu outro exemplo do sistema de honra no trabalho. E isto exemplifica exatamente o que precisamos hoje: o nosso melhor comportamento, mesmo quando ninguém está olhando.

Por Dov Seidman

A Honest Tea é uma companhia independente e, em parte, de propriedade da Coca-Cola. Recentemente, a empresa criou a seguinte campanha: várias barracas de chá foram instaladas ao redor de Nova Iorque (EUA). Nelas, as pessoas podiam se servir de chá pelo preço de US$ 1. No entanto, não havia ninguém trabalhando ou monitorando a barraca. A pessoa podia depositar o dinheiro em uma jarra ou simplesmente sair andando. Ao todo, 89% das pessoas colocaram dinheiro na jarra – o que, segundo a companhia, foi uma surpresa para muitos analistas de Wall Street.

Embora isso pareça apenas um esforço de marketing inteligente, é também uma abordagem da liderança do século 21 para construir confiança: dá-la à distância, sem fiscalização. Quando estendemos a confiança para outras pessoas – clientes, colaboradores, investidores e até mesmo às pessoas na rua – eles tendem a nos reembolsar por fazer a coisa certa com mais freqüência e nos brindar com mais negócios.

Continue lendo

Brasil terá “guerra” por talentos nas empresas

shutterstock_62847778

A afirmação foi feita pelo autor do livro Grandes Decisões sobre Pessoas, Cláudio Fernández-Aráoz, ao jornal Folha de S. Paulo.

Confira o trecho da entrevista.

“Líder deve formar equipe”

O Brasil está vivendo um momento único e deverá atrair mais investimentos do que o restante do mundo desenvolvido. Por isso, começará uma “guerra” por talentos nas empresas, pois as pessoas são fundamentais para o crescimento que o país poderá ter.

Um bom líder precisa ter capacidade analítica para antecipar-se ao futuro, gerar mobilização nos liderados e formar as melhores equipes. É justamente nesse ponto que há mais sensibilidade.

Será necessário, para ser um bom líder, assegurar que as pessoas-chave ocuparão as posições estratégicas.

Para isso, o líder deverá dar mais poder ao RH, educar os gerentes de linha para que saibam escolher suas equipes e criar incentivos para os supervisores e os gerentes que escolham bem seus subordinados.

Os brasileiros saem na frente, pois apresentam quatro vantagens: otimismo (que gera uma atitude positiva), resiliência (estão habituados a crises e planos econômicos), adaptabilidade (o Brasil mudou muito nas últimas décadas) e empreendedorismo.

Continue lendo

Sua empresa é formada por feudos ou aliados?

Foto Livro_Competencias

Entenda como o RH pode dar suporte aos objetivos estratégicos, assim como o Marketing pode alcançar seus objetivos por meio das pessoas que o RH desenvolve.

Por Portal HSM

integração do Marketing com a área de Recursos Humanos é apontada como sendo grande responsável pela valorização da marca da empresa e por trazer benefício aos colaboradores. Contudo, diante de um ambiente profissional competitivo é natural ver as empresas organizadas em formato de “feudos”, nas quais as áreas atuam de forma isolada a fim de atingir um propósito específico

Para Cláudio Queiroz (foto), acadêmico dos cursos de pós-graduação da Fundação Getúlio Vargas e FAAP, é possível promover a aliança entre as duas áreas a partir do momento em que ambas se enxerguem como sendo complementares

Mas, para isso, é preciso evoluir a perspectiva do papel de Recursos Humanos. “Os gestores de RH precisam vibrar com os resultados estratégicos da empresa, acompanhar os números da organização, conhecer as dificuldades que a empresa tem para o alcançar os objetivos e saber como auxiliar a empresa a alcançar seus objetivos. Além disso, admiro gestores que criam soluções que potencializem as competências necessárias para a empresa chegar lá”, exemplifica.

Confira a entrevista completa:

Continue lendo

Dez atitudes para reprogramar seu cérebro e emagrecer

A psicóloga americana Georgia Andrianopoulos aponta ações simples que podem ser incorporadas à rotina

Por IG São Paulo.

1) Aprenda a sentir prazeres simples que não envolvem comida, como praticar esporte, respirar profunda e conscientemente, visitar família e amigos, passar mais tempo ao ar livre.

2) Durma o suficiente para acordar descansado.

3) Adicione aromas agradáveis no espaço ao seu redor.

4) Reforce a ingestão de vitamina D, anti-oxidantes e suplementos com ômega.

5) Faça pequenos movimentos de alongamento e respiração a cada hora.

6) Prefira beber água e sucos. A bebida alcoólica deve ser apenas ocasional, assim como café e chá.

7) Pratique atividades tranquilizadoras, como ioga, pilates, relaxamento e meditação.

8 ) Interaja com pessoas que têm uma rotina saudável.

9) Fuja do isolamento e da inatividade.

10) Evite lugares ruidosos e cheios, especialmente na hora de se alimentar.

Fonte: Georgia Andrianopoulos, do Brain Fitness Inc, autora do livro Reeduque seu Cérebro, Remodele seu Corpo.

Continue lendo