10 motivos para valorizarmos o fracasso ao longo da carreira

Por: Gustavo Chierighini, fundador da Plataforma Brasil Editorial e membro dos conselhos editoriais da  DVS Editora e da Revista Criática.

Meus caros, começo esse texto com uma constatação inevitável: ninguém quer o fracasso. Trata-se de uma verdade! Passamos toda a nossa existência tapeando ou fugindo dele. Eventualmente o sobrepujamos, mas, às vezes, ele nos vence – e detestamos quando isso acontece.

worried-girl-413690_1280[1]

Contudo, tem sido muito cansativo a forma como a nossa cultura o destrata. O que observo é que sua existência vem sendo recorrentemente esquecida, ou talvez seja a sua importância que é constantemente relegada ao segundo plano. É fato que ou por medo de sua existência ou – e mais provavelmente – pela própria histeria que a busca pelo sucesso provoca, costumeiramente passamos a tratar o fracasso como um doente cuja enfermidade contagiante deve ser tratada em regime de quarentena.

VEJA TAMBÉM:
+ Livros que ajudam você a se desenvolver profissionalmente.

Observem que quase ninguém no universo corporativo ou empreendedor consegue admitir grandes erros, que é o sinônimo de fracasso. Os pequenos e costumeiros são tratados até com certo humor. Mas a derrocada, a grande derrapada, quase sempre é deixada para debaixo do tapete. Ninguém a admite, e é convenientemente esquecida para a manutenção da imagem perfeita e irretocável (mas evidentemente inverossímil).

E desta forma surge um mundo imaginário, com expressões bonitinhas para não assustar criancinhas e mimadinhos de plantão, e onde a experiência não conta e, obviamente, nada é o que parece ser. Uma demissão não é uma demissão, mas uma troca de perspectivas profissionais. A quebra ou falência não é uma quebra ou falência, mas uma hipótese no empreendimento que não deu muito certo (por causa do momento é claro, afinal estamos muito à frente dele, naturalmente). Uma sociedade que se desfaz, na verdade não se desfez, transformou-se em “algo maior” “mais inovador”, blá-blá-blá.

E de espuma em espuma, originadas na grande prateleira da perfumaria do embromation corporativo, pratica-se a grande injustiça de minimizar o valor do fracasso, que ajudaria a formar gente forte de verdade, e que é parte indissolúvel da história real de empreendimentos e carreiras sólidas.

Sendo assim, hoje resgatamos aqui o seu peso, mostrando com clareza a sua contribuição.

01. Com o fracasso, você aprende de uma vez por todas a lidar com as suas fraquezas e ineficiências. Sim, você não é perfeito;

02. Uma vez experimentado, podemos farejar com grande chance de acerto a sua aproximação. Quem já caiu sempre fica mais esperto e ágil;

03. Aprendemos que a experiência dos nossos pares, superiores e subalternos, sejam eles mais velhos ou mais jovens – e independentemente da geração da qual tenham saído (analógicos, x, y, z, w, 2.0 ou 3.0) -, sempre vale muito e precisa ser absorvida;

04. Que trabalhar com quem nunca levou um tombo na vida é um grande risco;

05. Passamos a distinguir prepotência de autoconfiança;

06. Que grande parte da autoconfiança, tão necessária para o sucesso e a tomada de riscos, nasce muitas vezes do enfrentamento do medo, que por sua vez nasce com algumas derrapadas;

07. Aprendemos a não levar muito a sério as pessoas que não têm medo de nada;

08. Que coragem não é não ter medo, mas reconhecê-lo, senti-lo e ainda assim enfrentá-lo;

09. Que podemos nos levantar da maioria dos tombos;

10. Que gente que caiu e depois foi capaz de se levantar vale o dobro, e que não se vivencia o sucesso sem antes fracassarmos de alguma forma.

Até o próximo.

As 10 habilidades profissionais que mais bombaram no ano

O LinkedIn, rede social voltada à carreira profissional, publicou uma lista em que aponta quais foram as habilidades mais relevantes no ano de 2014. Para isso, o site analisou mais de 330 milhões de perfis de usuários.

Veja abaixo quais fora as 10 competências mais buscadas no ano. Veja se você se encaixa ou pode se desenvolver em algumas delas (claro que nossos livros podem ajudar você):

1) Análise de estatística e mineração de dados

2) Mediação e integração entre softwares

3) Armazenamento e gestão de sistemas

4) Segurança e informação de rede

5) SEO/SEM – Marketing de otimização de buscadores e Otimização de sites para mecanismos de busca

6) Inteligência empresarial

7) Desenvolvimento de produtos em plataforma móvel

8) Arquitetura de software e desenvolvimento de framework

9) Design de algoritmo

10) Domínio de linguagens de programação Perl/Python/Ruby

7 Mitos do desenvolvimento profissional

Por: Gustavo Chierighini, fundador da Plataforma Brasil Editorial e membro do conselho editorial da DVS Editora.

Caros leitores, hoje navego pela seara corporativa, mas fiquem tranquilos, não trarei para este ambiente nenhum novo cosmético empresarial. Então, inicio com uma constatação: por maior que seja a disponibilidade de informação nos dias de hoje, e por mais facilitado que seja o seu acesso, aparentemente, nada contém a multiplicação dos mitos relacionados ao universo profissional e do desenvolvimento de carreiras.

Ninguém escapa a sua força. Empreendedores iniciantes ou veteranos, executivos em início de carreira ou calejados profissionais lotados no topo das hierarquias. Todos, praticamente ao mesmo tempo, são assediados pela fábrica de “verdades” absolutas.

Enquanto alguns as absorvem cegamente sem contestar (mesmo quando a “verdade” de hoje, contradiz a de ontem), outros mantém o senso crítico, e optam pela sempre inexpugnável lógica em suas avaliações.

Sendo assim, e cientes de que seguir a manada nunca foi diferencial para ninguém, destacamos abaixo alguns mitos (e expressões que comumente antecipam o anúncio dos mitos) que deveriam ser colocados contra a parede sempre que surgirem no nosso universo profissional.

1. “Agora a nova onda é”. Entenda, a nova onda de hoje, é a velha onda de amanhã. Portanto, aqui, recomenda-se cautela e caldo de galinha. Antes de embarcar na nova modinha pense se existe nela algum sentido, ou melhor, se as várias “ondas” na verdade não vão acabar convivendo harmoniosamente (ou se algumas simplesmente não fazem qualquer sentido).

2.  “O Trabalho em equipe resolve tudo, e portanto não precisamos mais de chefes”. Isso não é verdade. O trabalho em equipe é importante e saudável, mas não resolve tudo. Em muitas situações (mas muitas mesmo) o exercício de um poder vertical que decide de cima para baixo, mesmo que ponderado com alguma consulta, é mais efetivo, eficiente e custoso do que outros métodos de decisão.

3. “A disciplina corporativa mata a criatividade”. Mentira. Leonardo da Vinci, um dos maiores inventores de todos os tempos era um homem disciplinadíssimo. É lógico que o excesso de regulação interna pode mesmo abafar as forças de inovação, mas indisciplina em excesso pode simplesmente resultar em pura bagunça e desorganização (e nenhuma criação).

4. “Toda inovação é bem vinda”. Esta afirmação jamais pode ser encarada como verdade absoluta. O Nazismo já foi considerado por muitos como uma inovação política libertadora, e deu no que deu. Tudo sempre dependerá do referencial. Sem senso crítico, a inovação (que muitas vezes é realmente bem vinda) pode ficar desprovida das devidas calibragens e ajustes de aplicabilidade, e com isso se tornar apenas em mais uma novidade pela novidade, sem efetividade real e desacompanhada dos resultados que a justifiquem.

5. “Habilidade de liderança é essencial para crescer profissionalmente”. Outra mentira. Existem inúmeros (e necessários) caminhos de desenvolvimento de carreira não verticais. Muitos profissionais são absolutamente inabilitados para a liderança, mas possuem conhecimento técnico essencial às empresas.

6. “O bom executivo é generalista”. Atualmente é impossível ser totalmente bem sucedido formado apenas em platitudes. Sim ,é essencial dominar uma ou duas áreas do conhecimento de gestão.

7. “Quem penas muito realiza pouco”. Outra inverdade. Muitas vezes quem pensa bastante usufrui das conclusões alterando projetos, calibrando conceitos e ajustando implantações em um processo que inicialmente podem consumir algum tempo adicional, mas que a final protegem o conjunto da obra em uma resultante mais conclusiva resoluta.

Existem muitos outros mitos, e muitos outros podemos criar com facilidade, mas o que conta no frigir dos ovos é compreendermos que verdades absolutas não existem, assim como não existe o monopólio do conhecimento sobre os caminhos a seguir. No fim das contas o que vale é aquilo que funciona.

Até o próximo

APRIMORE-SE:
+ Encontre aqui livros para o seu crescimento profissional

Dê um Harlem Shake na sua carreira!

Um dos termos mais buscados do Google, vídeos que, se somados, já têm mais de 175 milhões de visualizações no YouTube em poucas semanas e o mais novo fenômeno mundial da internet. Se você ainda não ouviu falar, com certeza, em breve, vai assistir a algum vídeo do Harlem Shake.

Como quase todo hit na web, pode parecer algo totalmente superficial e bobo, e realmente é! A ideia começou com 4 amigos fantasiados com temas bizarros como alienígena, super-herói japonês e samurai, fazendo uma coreografia em cima de uma música de Baauer, DJ e produtor norte-americano – resolveram gravar a bagunça e pronto! Viralizou na internet…

A canção de Trap (gênero de música eletrônica), começa em um tom tranquilo, quase monótono. De repente, a música chega ao ápice, com os graves fazendo qualquer um que escuta dançar e chacoalhar, como um boneco de posto. A mania já foi gravada por gente de todo tipo e lugar, desde membros do exército norueguês até agências de publicidade.

Aproveitando carona na nova febre, o Carreira & Sucesso conversou com Branca Barão, palestrante, especialista em comportamento humano, criatividade e inovação, e autora do livro “8 ou 80 – Seu melhor amigo e seu pior inimigo moram aí, dentro de você” para apresentar maneiras de sair do marasmo e apatia e dar uma verdadeira sacudida na vida profissional. Dê um Harlem Shake na sua carreira!

Dê um Harlem Shake na sua carreira

Deixe seu hemisfério direito trabalhar também!

A rotina, muitas vezes, acaba nos levando a viver como se estivéssemos sobre um trilho, seguindo em linha reta. A mesmice e o marasmo podem nos cansar a ponto de rezarmos para que a sexta-feira chegue mais rápido e a segunda, não chegue nunca. Nesse caso, a vida pode ficar bem chata! Acontece que, coisas simples como escovar os dentes com a outra mão, escolher um novo caminho para ir ao trabalho, aprender a dançar ou a tocar um instrumento, ir ao teatro, ler um livro de um tema que você não está acostumado, assistir a uma comédia ou até contar piadas para um amigo podem fazer com que seu cérebro se sinta no direito de “voltar a brincar”. Pensar passará a ser mais divertido e isso vai te tornando, pouco a pouco, mais inovador, mais criativo e muito mais inspirador no seu trabalho. E você sabe que uma ideia puxa outra, que puxa uma realização, que puxa outra mudança. E assim, você vai acabar descobrindo que assim dá para mudar a vida inteira. Você vai conquistar novos desafios e renovar até o mesmo ambiente de sempre e, de quebra, vai ganhar novos amigos se assumir essa nova postura, mais flexível e criativa.

 

Supere a inércia!

Lembra das aulas de física? O que está parado, tende a continuar parado. Isso vale para a nossa vida também. A grande dificuldade é dar o primeiro passo. Coloque-se em movimento. Estou falando do seu corpo, da sua mente, das suas ideias e do seu trabalho. Busque fazer mais, se exercitar, experimentar novas coisas e dar o “start” em tudo aquilo que você sempre se comprometeu, e está adiando há “séculos”. Comece aquela dieta hoje mesmo. Esperar a próxima segunda-feira significa permitir que a inércia permaneça. E isso vale para todos os seus objetivos: Conversar com seu chefe sobre aquela promoção, fazer aquela reunião com a sua equipe, criar aquele novo currículo, ligar para um possível investidor para sua ideia, marcar um café com aquele possível sócio, ligar para aquela garota, enviar aquele e-mail. Agora é o melhor momento para que a lei da inércia trabalhe a seu favor. Afinal, também faz parte dela a definição: O que está em movimento, tende a continuar em movimento.

 

Seja o primeiro!

Uma pista de dança, em toda festa, fica desconfortavelmente vazia até que algum “maluco” tenha a coragem de se aventurar e ir dançar primeiro. Depois que uma única pessoa está lá dançando, os outros vão com muito mais facilidade e quando você vê a pista está cheia. Gosto muito de pensar na coragem que temos que ter para dar esse primeiro passo.  Imagine alguém que vai saltar de paraquedas. Agora imagine-se na porta do avião, com a porta aberta, olhando para o mundo lá embaixo, já devidamente equipado e na força da decisão que precisa ser tomada para que o passo fundamental seja dado para fora do avião em direção ao “nada”. Imaginou? Então, o primeiro tem que ter mais coragem, mas é isso que o faz tão especial. Seja o primeiro a entrar na pista de dança, a pular da escuna no mar, a levantar os braços em uma montanha russa, a cantar no videokê do churrasco, a convidar “aquela” pessoa para sair, a assumir mais responsabilidade na empresa, a chegar mais cedo ou sair mais tarde quando algo importante estiver acontecendo, a contar uma ideia na reunião mesmo sem a certeza de que a ideia é realmente boa. E verá um monte de gente vindo atrás de você, sem que precise chamar e quando você menos esperar estarão seguindo a sua coreografia e dançando no seu ritmo. E é assim que nasce um grande líder.

 

Deixe de se preocupar com o que os outros vão pensar!

Sempre que queremos fazer algo inovador, diferente e corajoso e nos perguntamos: O que será que vão pensar de mim se eu fizer isso? A resposta que teremos, de nós mesmos, não será muito encorajadora. De toda forma, seguir a opinião de todo mundo, significa não sermos nós mesmos e hoje acredito que essa é nossa melhor opção: A autenticidade, a espontaneidade, sendo assim, use o bom senso sempre, mas siga aquilo que acredita ser o certo e não o que te pedem. Tem uma frase que diz: Pedir desculpas é melhor do que pedir permissão. Quando queremos mudar algo na nossa vida ela se torna ainda mais verdadeira, porque o medo das críticas ou da rejeição nesse caso, pode funcionar como um verdadeiro freio de mão para os seus projetos. Uma frase Celta diz: “Trabalhe como se não precisasse de dinheiro, ame como se nunca tivesse se machucado e dance como se ninguém estivesse olhando.” Penso que só assim seremos o melhor que pudermos ser e chegaremos o mais perto possível de onde queremos chegar.

 

Cresça sem perder a graça!

Lembre daquilo que você respondia, quando era criança, para a pergunta: O que você quer ser quando crescer? Bailarina, astronauta, bombeiromédicoprofessora, presidente, super-herói ou algo tão grandioso e realizador assim. Não importa. O que vale é traçar um paralelo entre o que você dizia, há tantos anos, que sonhava em ser e aquilo que você faz hoje. É mais fácil do que parece, é só encontrar a missão da profissão que significava a sua resposta na época e ver se dá para ser desenvolvida naquilo que você faz hoje. Educar, ensinar pessoas, formar uma equipe, salvar a vida de alguém, empreender, mudar o mundo. Se encontrou a forma de fazer isso, desempenhando a sua função de hoje, tenha certeza que tudo o que você precisa é direcionar aquele sonho para isso que você faz. Isso te fará descobrir a fórmula da motivação, aquilo que te faz fazer barulho e mostrar ao mundo o verdadeiro show que você é capaz de dar.

 

Fonte: Dê um Harlem Shake na sua carreira! | Portal Carreira & Sucesso

Persuasão: aumente a confiança dos outros em sua pessoa

Olá poderosos persuasores! Eu sei que você deve estar tendo uma grande semana, mas lembre-se de que a pior hora para aprender uma técnica de persuasão é justamente quando você precisa dela. Persuasão é algo que maximizado antes que você precise usar, caso contrários as oportunidades estarão perdidas para sempre. Há coisas que você está fazendo neste exato momento que fazem com que as pessoas não confiem em você. Tenha essa ideia em mente para que possamos continuar com a nossa série QI de Persuasão.

Qual é a resposta para a seguinte pergunta? 

O que você faz quando sente que, durante uma apresentação, a confiança das pessoas em você começa a diminuir? 

a)   Tenta ser mais enfático.
b)   Pede que o público confia em você.
c)   Revela uma fraqueza.
d)   Usa de mais estatísticas.
e)   Nenhuma das respostas acima. Continue lendo

Persuasão: o segredo dos milionários!

Se você quer um dia ser milionário, você deve entender como ler as pessoas e como as pessoas te leem. Muitas pessoas não são educadas na arte da interação humana. Você precisa ser capaz não apenas de controlar a primeira impressão que passa, como cada impressão que passa quando interage com outras pessoas. Porque elas estarão julgando tudo consciente e inconscientemente. Está informação provavelmente será a mais importante que você aprenderá nesse seu caminho para o sucesso. Isto cria grande influência e confiança quando você desenvolve a habilidade não apenas de ler as pessoas, mas de desvendar seus sentimentos e humores durante cada encontro. Tudo o que você faz e fala afeta as emoções dos outros e como eles se sentem em relação a você. Deixe-me lhe contar uma história.

Por Kurt Mortensen

A raposa e a outra raposa 

Uma raposa estava correndo, pulando e brincando num enorme campo. Ela está desfrutando de um dos últimos dias do outono.  Enquanto saltava de um lado para o outro de uma cerca, ela mergulhou de cabeça em um largo buraco que um fazendeiro tinha feito na tentativa de construir um poço, onde achou um pouco de água, mas que acabou abandonando, deixando o buraco aberto.  Continue lendo

12 formas de destruir uma equipe competente

Todos sabemos como é árduo formar uma equipe eficiente. Em muitas situações são anos de tentativas, com erros e acertos até que em um determinado momento a orquestra se forma.

Por Gustavo Chierighini, fundador da Plataforma Brasil Editorial e membro do conselho editorial da DVS Editora.

Geralmente ela é entrosada, comprometida, dotada de uma cultura própria, mas que convive com as particularidades. Ela é o sonho de dez entre dez empresários inteligentes.

Mas nem todos atingem esse êxito ao formarem seus quadros, porém entre aqueles que conseguem, um bom número se afunda nas armadilhas do processo de gestão e invariavelmente acabam por destruir aquilo que construíram.

Desta vez, caminhando no sentido inverso, apontaremos aquelas atitudes e práticas que servem para acabar de vez com uma equipe invejável. Continue lendo

Flagras da segunda edição da palestra Gestão Estratégica do Franchising

Na última quinta-feira, dia 22, desta vez em Ribeirão Preto, Adir Ribeiro – Presidente e Fundador da Praxis Education, realizou a segunda palestra de um ciclo organizado pela FAAP sobre o livro “Gestão Estratégica do Franchising” do qual ele e seus sócios são autores . Mais uma vez, no auditório pessoas interessadas em trocar experiências e entender mais sobre o mercado de franquias. Obrigado a todos que participaram.  Estão todos convidados para a palestra que será realizada na FAAP São Paulo no próximo dia 3. Programem-se!

Alguns questionamentos para o futuro empreendedor

Tornar-se dono do próprio negócio é o sonho de muita gente. Muitos planejam atingir esse objetivo ao longo de anos de carreira corporativa, loucos para se livrar das amarras do escritório, da imposição de chefes, das intermináveis reuniões que muitas vezes não levam a lugar algum.

Por Gustavo Chierighini, fundador da Plataforma Brasil Editorial e membro do conselho editorial da DVS Editora.

Porém (e sempre existirá um porém),  ser empreendedor não é necessariamente um passeio pelo bosque encantado. Trata-se antes, de uma atividade que envolve risco, perseverança, demandando coragem, disciplina e, sobretudo, uma atitude de vida profissional absolutamente distinta daquela exigida para um emprego comum.

Cientes disso, elaboramos dez questionamentos para que o futuro empresário possa confrontar seus sonhos com a concreta realidade. Continue lendo

O empregado e a Gestão de Carreira

É recorrente ouvirmos que a gestão de carreira está nas nossas mãos. Entretanto, existem outros atores que influenciam e interferem na velocidade e alcance do nosso objetivo de carreira.

Empregabilidade, autogestão de carreira estão na moda, mas apesar de todo o esforço, nem sempre o objetivo é alcançado. Por vezes, faltam estratégias e ações estruturadas de modo a potencializar a velocidade e o alcance de nossos sonhos.

Por Cláudio Queiroz

Continue lendo

Insight!

Não deixe de conhecer mais sobre a obra. Você não vai se arrepender! Acredite!

E não deixe de curtir a página do facebook do livro. Continue lendo

Alguns flagras da palestra Gestão Estratégica do Franchising – Como Construir Franquias de Sucesso

No dia 12, ocorreu no auditório da FAAP, a palestra Gestão Estratégica do Franchising: Como Construir Franquias de Sucesso. Adir Ribeiro, fundador da Praxis Education, é também um dos autores do livro Gestão Estratégica do Franchising (DVS Editora). Neste encontro, o autor tratou do universo de franquias, que vem tendo grande crescimento no Brasil, e refletirá as possibilidades do negócio e as boas práticas do franchising, seja por meio da Aplicação de viabilidade do negócio; Assuntos jurídicos; Processos e Manuais; Expansão da rede; Capacitação e Treinamento; Relacionamento; Planejamento, Marketing, entre outros tópicos.

Veja como foi.

Continue lendo