Uma voz destoante sobre a questão climática

Vaclav_Klaus

Sim caros leitores, surge no horizonte uma liderança que tenta marchar na contra corrente dos conhecidos “lugares comuns” sobre a questão climática e seus efeitos.

Por Gustavo Chierighini, postado originalmente em baguete.

Evidentemente não se trata da única voz dissidente, mas dessa vez é a de um chefe de estado. O Sr. Václav Klaus, presidente da República Tcheca.

Sua abordagem virá em forma de livro, a ser lançado no Brasil nos próximo dias pela DVS Editora, com o título Planeta Azul em Algemas Verdes.

“O que está em perigo: o clima ou a nossa liberdade?” é com esse questionamento que o autor abre o seu livro, no qual discute o aquecimento global colocando em questão a postura imposta ao ser humano e que lhe talha a liberdade. “O ambientalismo é uma ideologia semelhante à religião”, diz ele.

No seu livro, o líder Tcheco não questiona a existência de um processo de alteração do clima, mas discorda da amplitude dada ao problema.


“O problema do aquecimento global tem bem mais a ver com as ciências sociais do que com as naturais, mais com economia do que com climatologia, mais a ver com o ser humano e sua liberdade do que com um aumento na temperatura média global em alguns décimos de grau Fahrenheit”, afirma.

Para ele, o aquecimento global tornou-se um tópico extremamente contro¬verso. Dos dois lados do Atlântico, o debate transformou-se numa guerra cultural contra a liberdade econômica.

CAPA_FINAL“A coerção do politicamente correto, mais severa do que nunca, está ficando cada vez mais forte, e só há espaço para uma verdade, a qual é, mais uma vez, imposta a todos nós”, conclui.

Em sua obra, o presidente Tcheco defende a liber¬dade de se renovar tal debate, e recorre a estudos de cientistas renomados para afirmar que – ao contrário do que se está querendo fazer entender – diversas atividades econômicas não são causadoras das mudanças climáticas.

Como observamos não se trata da negação do problema, mas de uma dose de ponderação e um pouco de calibragem.

Até o próximo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *