Menu
08 out

11 dicas para lidar com os riscos durante sua jornada empreendedora

Por: Gustavo Chierighini, fundador da Plataforma Brasil Editorial e membro do conselho editorial da DVS Editora.

Caros leitores, deixando o eterno “lugar comum” de lado, de que correr riscos é parte integrante de uma vida normal e de que nada podemos fazer para eliminá-los totalmente, poucas atividades oferecem mais riscos do que o livre empreendedorismo. E aqui é o momento para soterrar outro clichê, o de que empresários e investidores  adoram o risco e o frio na espinha que eles proporcionam. Mentira em estado bruto.

Empreendedores gostam de construir, dar vida a ideias e concretizar sonhos, mas se possível com o mínimo de risco.

Contudo eles são inevitáveis, mas com alguma sensibilidade, pé no chão, e boa dose de senso crítico e de realidade, podemos potencializar a nossa capacidade de prever e consequentemente pular fora de algumas roubadas bem cabeludas.

Seguem algumas dicas que podem ajudar:

1. Redobre a atenção diante de parceiros, sócios ou colaboradores (fornecedores incluídos) acometidos por excesso de otimismo;

2. Sinal amarelo quando os detalhes não estão sendo considerados ou recebendo a devida atenção. É ali que o capeta atua e ele não perdoa os distraídos;

3. Ao conceber um planejamento, monte mais de um cenário pessimista. O absoluto cumprimento de prazos planejados é praticamente uma raridade, e como geralmente sua execução não depende apenas de você (e muitas vezes nem da sua empresa e colaboradores) encare o panorama mais conservador como o mais provável. Ainda assim ocorrerão furos;

4. No âmbito financeiro, trabalhe com a formação de reservas. Desde o início treine e reforce esta cultura. Você frustrará os imprevistos e dormirá mais tranquilo. Mas isso é impossível sem sacrifício, contenção e disciplina;

5. Cenários econômicos são instáveis, mas nesse momento surge o “senso comum” para atrapalhar o discernimento com suas trombetas de euforia. Fique surdo para elas e espere por momentos difíceis no horizonte. O contrário pode ser adotado quando as trombetas silenciarem;

6. Calibre as suas expectativas em relação às pessoas. Colaboradores, novos sócios e parceiros em geral, levam o dobro do tempo esperado para jogar no auge de suas capacidades. O “fora da curva” existe, mas é raro uma andorinha fazer verão;

7. Nunca deixe a percepção da bonança tomar conta dos espíritos da sua equipe. Ela sempre é efêmera e traiçoeira.

8. Gerencie o fluxo de caixa, assim como um piloto observa e lê seus instrumentos. Qualquer passo em falso, pode trazer uma montanha para o curto prazo.

9. Deixe o blá blá blá politicamente correto de lado, e crie barreiras tecnológicas, de processos e de mercado para os seus concorrentes. Eles vão odiar, mas você não está em um concurso de simpatia;

10. Evitar riscos pode ser recomendável, mas muitas vezes não corrê-los será ainda mais perigoso. Coragem e ímpeto são fundamentais para o empreendedor, mas o que devemos evitar sempre é a burrice.

11. Sim, nem tudo vai dar certo. Acostume-se com isso. Trata-se de pura gestão de expectativas.

Até o próximo e boa sorte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to top
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com