Menu

Mídias sociais passam a ser o diferencial no cenário do e-commerce brasileiro

Novas tendências e hábitos no mercado de comércio eletrônico brasileiro. Segundo uma pesquisa recente do e-Bit (empresa de e-commerce), 23 milhões dos cerca de 67 milhões de internautas já fazem compras pela internet, o que em 2010 deve representar faturamento de RS$ 14,3 bilhões, um crescimento de 30% com relação ao ano passado.

Como consequência disso, as empresas têm se utilizado de novas ferramentas que facilitam e dão maior segurança ao internauta na hora da compra. Dentro deste cenário, ganha o destaque o uso das mídias sociais (Blog, Twitter, Facebook etc.) como canal de comunicação com o cliente.

Tais ferramentas têm sido usadas não como um simples canal de venda, mas sim de conversa com o público alvo, de modo a mapear nichos, gostos, tendências e principalmente como forma de gerenciar a imagem da empresa frente ao seu público alvo.

Segundo o especialista em ética empresarial e autor do livro “Como” (DVS Editora), Dov Seidman, as mídias sociais fazem com que as empresas se exponham mais e com isso dêem uma maior mostra de como agem e do que pensam.


“O mundo mudou. A popularização da tecnologia da informação tem feito do bom comportamento um fator de extrema importância porque se torna cada vez mais difícil esconder o mau comportamento. Em última análise, a única maneira de desfrutar de uma boa reputação é a ganhá-la vivendo com integridade. Nós não podemos controlar nossas histórias, mas podemos controlar a forma como vivemos nossas vidas”, afirma o autor.

Dov Seidman faz questão de enfatizar que hoje a maioria dos produtos se tornaram quase que commodities, ou seja, podem ser facilmente copiados e comercializados pelo seu concorrente, inclusive, por um preço mais baixo. Para ele, o diferencial acaba residindo então não no o que se vende, mas sim como se vende. Ou seja, a manutenção de uma boa imagem da empresa é fator mais que importante nos dias de hoje.

Sobre Dov Seidman

Segundo Seidman, a nova lógica mundial prega o comportamento, a transparência e conectividade como fatores de diferenciação. É o que o autor chama de “Out-Behaving de Competition”.

DVS, DVS Editora, Blog do Editor“O mundo mudou”, defende o autor, “a popularização da tecnologia da informação tem feito do bom comportamento um fator de extrema importância porque se torna cada vez mais difícil esconder o mau comportamento. Em última análise, a única maneira de desfrutar de uma boa reputação é a ganhá-la vivendo com integridade. Nós não podemos controlar nossas histórias, mas podemos controlar a forma como vivemos nossas vidas.”

Dov Seidman é chefe da LNR, empresa que tem ajudado algumas das mais respeitadas companhias do mundo a criar culturas vencedoras do “fazer o certo”. Em seu livro COMO: Por Que o COMO Fazer Algo Significa Tudo . . . nos Negócios (e na Vida), ele mostra como a avalanche de informações e a transparência sem precedentes remodelaram o universo empresarial de hoje e mudaram expressivamente as regras do jogo. Não é mais o quê se faz que o distingue dos outros, mas o como faz. Os o quês são itens básicos, fáceis de serem copiados ou de se aplicar engenharia reversa. A vantagem sustentável e o sucesso duradouro – tanto para as companhias como para as pessoas que nelas trabalham – hoje estão na esfera do como, a nova fronteira da conduta.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to top
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com