Menu

Os Seis Pecados Capitais do Empreendedorismo

– Para eles não há absolvição

Construir um negócio do zero não é nada fácil. Demanda coragem, sangue frio, enorme disposição e muito, muito bom senso.

Por Gustavo Chierighini

Diante dessa constatação é preciso deixar claro que quem julga os equívocos cometidos por empreendedores, atende pelo nome de mercado, e é constituído por um júri implacável, que não tem a menor compaixão pelo seu esforço e boa vontade. Portanto, todo cuidado é pouco.

Reunimos aqui uma lista de coisas que simplesmente não podem acontecer. La vai:

Descapitalização progressiva do negócio.

O projeto vai bem, os primeiros clientes vieram e parecem estar satisfeitos. Pouco a pouco a empresa vai se consolidando e ganhando espaço.

Pronto, embriagados pelo ainda incipiente sucesso, os sócios se reúnem e certos que de agora em diante só virão outros sucessos e mais e mais contratos, passam a realizar investimentos desnecessários, queimam recursos com inutilidades corporativas e outras superficialidades.

Criam com isso uma cultura de displicência financeira, que pouco a pouco fragiliza o negócio, eliminando a sua sustentabilidade no médio e às vezes até no curtíssimo prazo.

Ansiedade, impaciência e precipitação

É óbvio que qualquer projeto de risco causa ansiedade. É quase impossível evitar esse sentimento em algumas fases e situações. Mas isso não pode dominar os processos de decisões. Deve ser encarado como um sentimento normal, mas não pode jamais orientar a gestão da empresa.

Na hora de agir, é preciso ter paciência e concentração. É muito importante manter a cabeça no lugar e encarar obstáculos e adversidades como componentes de um jogo.

Falta de Planejamento

Você não precisa montar um documento que aborde o negócio para os próximos dez anos. Mas é fundamental conceber um material bastante objetivo e viável, como um bom “plano de vôo”, onde fique claro em que lugar você quer chegar, quando e de que forma.

Desorganização

Corra dela, é um dos pecados mais graves. Causa insegurança para você, seus colaboradores e parceiros e acaba refletindo diante dos clientes.

Ela ocasiona uma sangria permanente no negócio, consome tempo e traz complicações, além de minar todas as iniciativas planejadas.

Incompetentes

Não os deseje nem para o pior inimigo. Simplesmente elimine-os do convívio profissional. Eles não trazem nada de bom. Atrasam o andamento das atividades, desmotivam os competentes e criam um ambiente de desgaste geral.

Otimismo ou Pessimismo Exagerado

Lembre-se de manter um certo ceticismo saudável. A autocrítica ajuda muito a ajustar expectativas e evitar decepções custosas.

Neste caso, acreditamos no ditado popular, de que a virtude está no meio. Portanto empreendedor, nem tanto ao céu, nem tanto à terra. Mas, sobretudo, conte com imprevistos. Conte com atrasos, furos e atue sempre com muita antecedência.

Por fim, siga firme no seu caminho, sem se esquecer de que empreender é antes de qualquer coisa um estilo de vida, um estado de espírito constante.

 

Sobre o autor

 

 

Gustavo Chierighini, atento observador do universo corporativo, é fundador da Plataforma Brasil e membro do conselho editorial da DVS Editora.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to top
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com