Menu
12 abr

A editora pediu um Book Proposal, e agora?

Como dissemos, um editor ou um agente literário recebe vários manuscritos todo dia. Outra ferramenta eficiente para demonstrar o potencial de seu manuscrito é a Book Proposal ou a Proposta do Livro.

Aqui estão algumas razões para que você escrever sua própria book proposal:

  • Editores não têm tempo de olhar atentamente todos os manuscritos que recebem: A book proposal por si só oferece muitas das informações que o editor precisa. Antes de ler os primeiros capítulos, ele vai gostar de saber sobre o manuscrito, qual é a plataforma do autor, em que mercado a obra se enquadra e se já existem outros livros similares.

E você deve ser franco, viu? Sei que para a maioria dos escritores suas obras são únicas, mas preste atenção no mercado. Existem concorrentes?

  • A book proposal pode ser usada durante o processo de publicação do livro: Se bem elaborada, as informações contidas nessa ferramenta podem ajudar o departamento de marketing e de vendas entender o livro e criar estratégias. A proposal também servirá como referência para os textos de capa, campanha publicitária e pontos de venda.
  • Você conhecerá melhor seu livro: Por conseguinte, saberá responder qual a estrutura, o tema e a linearidade da obra. Também será capaz de identificar problemas, antes mesmo de enviar o manuscrito a editoras e agências. Se escrito corretamente, você será capaz de dizer em poucas palavras do se trata sua obra e porque alguém deve comprar sua ideia.

Um book proposal consistente deve ter basicamente três partes e responder as seguintes perguntas:

  1. Do que se trata o livro?
  2. Em que mercado ele se enquadra?
  3. Por que você é gabaritado para escrever essa obra?

 

 

Além disso, no caso das obras ficcionais esteja preparado para apresentar a premissa do livro, o resumo de um parágrafo – provavelmente usado na carta de apresentação – e a sinopse.

 

Vamos começar a montar?

PARTE 1 – DO QUE SE TRATA O LIVRO

É interessante que você comece colocando as informações básicas como: o título do manuscrito, números de telefone e e-mail. Além disso, se você já tem um agente também deve colocar as informações de contato dele. Não se esqueça de que contato nunca é demais. Caso tenha outros livros publicados, pode listá-los.

Em seguida, coloque a premissa da sua obra. Ela deve mostrar a ideia principal do manuscrito e é bem pequena. Caso tenha dúvidas sobre o que é uma premissa, você pode consultar o volume do Book-in-a-Box Preparação do Escritor e Revisão da Primeira Versão.

O próximo item é um texto breve que dará uma visão geral sobre seu manuscrito. Ele pode ser similar a quarta capa do livro, ou seja, deve ser excitante, informativo e, principalmente, fazer alguém querer ler seu livro. Esse texto contará ao editor, de maneira sucinta, do que se trata o manuscrito, por que este é um projeto único e a qual mercado se destina. Procure trabalhar para que o texto tenha no máximo duas páginas.

Termine essa primeira parte dando outros detalhes sobre o manuscrito: quantas palavras tem o livro; o projeto terá fotos ou ilustrações; quem será responsável pela ilustração; etc.

PARTE 2 – EM QUE MERCADO O MANUSCRITO SE ENQUADRA

Entendemos que você é escritor, não profissional de marketing, também não esperamos que você solucione todos os problemas do livro, mas, nessa parte, avaliamos o interesse do escritor no mercado e se ele escreveu de forma consciente. Além disso, os argumentos aqui presentes poderão ser decisivos para que o editor opte por seu manuscrito em vez do da Mariazinha. Você perceberá que as informações que precisamos só poderão vir do próprio escritor, não tem nada a ver com um profissional qualificado.

Qual o público-alvo do seu livro? É homem ou mulher? Qual a faixa etária? Você apostou em um nicho de mercado? Qual o gênero? Existe algum programa de televisão cujo público é o mesmo do seu livro? Mais uma vez pense com cuidado. Não adianta dizer que seu livro é apelativo para todo mundo. Nenhum livro é.

Existem outros livros no mercado que abordam o mesmo tema que você? Por que seu livro pode ser considerado diferente dos concorrentes? Por favor, nunca diga que não existe outro livro como o seu. Dê uma espiadinha no tamanho do mercado, então, sempre existem concorrentes. É muito mais interessante você apresentar argumentos inteligentes do que usar o discurso: “MEU LIVRO É ÚNICO”.

PARTE 3 – POR QUE VOCÊ É GABARITADO PARA ESCREVER ESSA OBRA?

Essa parte é sobre você. Escreva seu currículo, diga por que você é qualificado para escrever a obra. Detalhe sua formação, mostre quais cursos na área de escrita você fez e o mais importante, detalhe sua plataforma. Mais uma vez repito: Não esperamos que você solucione todos os problemas do seu livro, mas é interessante o editor saber do que o autor que ele investirá é capaz.

Portanto, o que você fará para atingir seu público-alvo? O que já fez? Quais contatos já tem? Qual seu plano para ajudar no marketing do seu livro? É fato que autores que trabalham junto da editora têm muito mais chances de sucesso.

Nessa parte, sinta-se livre para dizer se você já deu entrevistas, palestras, se já participou de programas de rádio, televisão, se escreveu ou escreve para blogs e revistas – coloque o número de leitores –, se você já tem site e qual o tráfego. Desde que consistente, nessa parte vale tudo.

Por fim, acrescente dois capítulos iniciais que servirão como amostra do livro. Tenha certeza de que eles estão bem escritos e estruturados. A ideia é a perfeição. O editor avaliará tudo, se seu livro começou bem, a ideia, se a meta está sendo atingida e – claro! – a ortografia da obra.

Não vou colocar um modelo de book proposal porque como você pode perceber, ele varia bastante de livro para livro, mas com as dicas acima você está pronto para começar a rascunhar sua própria proposta.

James McSill – Em um mercado em que menos que 5% dos bons textos conseguem sequer ser autopublicados, mais de 75% dos autores que procedem das consultorias de James McSill atingem a tão almejada publicação comercial. James trabalha em vários países com textos para literatura, teatro, cinema, TV e Storytelling Corporativo. | ©mcsill | james@mcsill.com
Back to top