Menu
29 nov

As duas moedas mais caras deste século que fazem negócios digitais lucrarem de verdade

Caso você esteja em um ambiente onde tenha um número razoável de pessoas, provavelmente notará que boa parte delas está com os olhos fixados em uma tela de smartphone.

O que mudou é como as pessoas ocupam o seu tempo. As tecnologias de comunicação romperam as barreiras da distância, e nos permite consumir um fluxo de informação de maneira muito mais rápida.

É nesse contexto que os negócios digitais cresceram e se solidificaram. Porém, esse é um contexto que tem suas complexidades e uma nova dinâmica de fazer negócios.

É preciso entender que tempo e atenção são as coisas que as empresas mais devem buscar em seu público. Um livro do Rafael Rez, publicado aqui na DVS Editora, ensina muito bem sobre essas duas moedas.

Leia esse artigo até o final e descubra o que você deve fazer para se destacar entre os negócios digitais.

A internet deu poder ao cidadão comum

Imagine que seu amigo indicou um filme para você. Hoje em dia, você não precisa ir à uma locadora e alugar um exemplar do filme para saber se você vai gostar. Você pode simplesmente pesquisar no Youtube o seu trailler e ter uma prévia sobre o filme.

É isso que nós fazemos hoje, nós procuramos por informação o tempo todo. E é muito fácil acessá-la; podemos fazer isso em tempo real.

O cérebro humano tem uma vontade natural de processar informações. Entretanto, ele também tem seus próprios critérios para decidir aquilo que vai prestar atenção.

É por esse motivo que as pessoas estão olhando o tempo todo para seus smartphones e tablets. A popularização da internet tornou constante o acesso à informação, entretenimento e relacionamentos sociais. Esse é o terreno fértil para os negócios digitais.

Hoje as pessoas podem ler, ouvir e assistir praticamente tudo o que querem e quando querem. É cada vez mais crescente o hábito de consumir informação nos mais variados formatos, como vídeos, posts em blogs,  fotos e posts em redes sociais.

A tendência é que o mundo fique cada vez mais digital. E “ir para a internet” tem se mostrado uma necessidade cada vez maior para as empresas.

É por isso que muitas delas já buscaram maneiras de tornar seus negócios digitais, alcançando mais clientes.

A internet, na verdade, se tornou outra coisa além de uma ferramenta de comunicação. Hoje, ela é um hábito, as pessoas tem a internet no bolso e interagem a todo instante nas redes.

Na internet, o usuário é quem dá as cartas. Ou melhor, sua atenção.

negócios digitais

Já passou por uma situação onde você teve que dividir a atenção de uma pessoa com um celular? É porque, quando estamos muito atraídos em conhecer algo de nosso próprio interesse, fica difícil prestar atenção em outra coisa.

Então, para um negócio digital conquistar um público, é necessário saber muito bem como atrair a atenção dele.

A internet foi um marco na história da comunicação e do conhecimento. Ela possibilitou que, com um celular, pessoas comuns possam acessar os mais diversos conteúdos sem precisar sair do lugar.

Hoje o consumidor não apenas “ouve”. Ele pergunta, mais do que nunca e expressa suas preferências. Quando ele não gosta daquilo que vê, simplesmente abandona a página ou desliza a timeline para baixo.

Na internet, o consumidor é quem escolhe se vai ignorar sumariamente, ou seguirá o conteúdo que você tem para oferecer nos seus negócios digitais.

Os negócios digitais estão na palma da mão do consumidor a todo instante

Quem não enxerga como o smartphone impactou profundamente as relações de consumo de informação e uso do tempo das pessoas? Isso é gritantemente claro na nossa sociedade.

Foi em 2014 que, pela primeira vez, mais da metade (54%) dos brasileiros, com 10 anos ou mais, passaram a ter acesso à internet, conforme constatou o IBGE através na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad).

Sem dúvida, esse foi um dos fatores que mais impulsionaram o desenvolvimento de diversos negócios digitais no nosso mercado.

A mesma pesquisa apontou que, no mesmo ano, mais de 75%  dos brasileiros, com 10 anos ou mais, já usavam aparelhos celulares móveis.

As conexões móveis 3g ficaram cada vez mais acessível, fazendo com que a internet fizesse se fundisse mais ainda no cotidiano das pessoas.

A pesquisa TIC Domicílios de 2016 aponta que o acesso à internet havia aumentado para 60%. E isso não foi tudo, outro fator se mostrou ainda mais interessante.

Mais de 90% da população brasileira usa o smartphone como principal acesso à internet

E essa é uma tendência irrefreável. Quanto mais a tecnologia se desenvolve, mais ela se torna acessível.  Ao fazer parte do cotidiano de todos, consumir pela internet foi caindo mais no gosto do povo.

Cada vez mais, as pessoas deixaram de ter medo de fazer transações online, e hoje em dia é comum darem preferência para comprar pela internet, contribuindo com muitos negócios digitais.

As pessoas gastam muitas horas do dia de olho na Internet

negócios digitais

Se tem uma coisa que o nosso cérebro quer fazer o tempo inteiro é processar informação, somos viciados em estímulos audiovisuais principalmente.

A partir do momento em que a internet ficou acessível com um simples aparelho portátil, as pessoas foram desenvolvendo hábitos de consumo online e comprando de diversos negócios digitais.

Em setembro de 2016, foi divulgada uma pesquisa, realizada pela Milward Brown Brasil e NetQuest, apontando que o brasileiro passa, em média, mais de 3 horas conectado somente com o celular.

Esse número é ainda maior entre os jovens, que passam mais de 4 horas conectados via smartphone. Isso sem contar os acesso por dispositivos desktop.

Mas o que essas pessoas fazem na Internet?

Em essência, as pessoas usam a internet para consumir informação. Humor, notícias, curiosidades, pesquisas, conversas e relacionamentos… tudo isso são formas de conteúdo que as pessoas estão consumindo nesse universo online.

Entender como o público se comporta na internet e o que lhe chama atenção é de vital importância para todos os negócios digitais.

Uma outra pesquisa chamada “Futuro Digital em Foco Brasil 2015”, promovida e realizada pela comScore revelou que os brasileiros são os que mais gastam tempo em redes sociais.

São, em média, 650 horas por mês gastas em redes sociais pelos brasileiros. Em segundo lugar, com 290 horas por mês gastas pelos brasileiros, estão os portais de entretenimento e notícias.

A realidade virtual se fundiu com o cotidiano da sociedade. O tédio da espera do ônibus, da fila do banco, da espera para a consulta, foi substituído pelo conteúdo a livre demanda proporcionada pela internet de bolso.

O futuro do consumo está a favor dos negócios digitais

A tendência da sociedade é ficar cada vez mais digital. Ano a ano, vemos incríveis novidades tecnológicas que nos fazem mergulhar cada vez mais na realidade virtual.

Apesar de a internet ser, de certa forma, “imaterial”, ela influencia diretamente os hábitos de consumo e nas relações das pessoas com o mundo.

Uma das maiores referências sobre as novas relações de consumo de informação e de mercado, influenciadas pela internet, é o livro “Marketing de Conteúdo: A Moeda do Século XXI”.

Ter esse livro no seu repertório é imprescindível para ter bons resultados com negócios digitais.

Conheça esse livro agora e aprenda informações essenciais para conseguir as duas moedas mais caras do século nos seus negócios digitais.

Back to top
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com