Menu
20 dez

O poder ainda desconhecido do marketing de conteúdo. Como você se comunica com seu público faz toda diferença.

Responda uma coisa para você mesmo: você prefere ver um comercial qualquer na televisão ou ler um texto interessante sobre algo que faça sentido para você? A resposta dessa pergunta revela o poder do marketing de conteúdo.

Veja bem, tanto o comercial na televisão quanto o texto interessante são formatos de conteúdo. A maior diferença entre eles é que o primeiro você não pediu para assistir, ele apenas aparece quando você está consumindo um outro conteúdo (que pode ser uma série, um filme, uma novela, um telejornal etc). E o segundo, o texto, você decide ler por sua própria iniciativa.

Esse é o ponto fundamental que a internet trouxe como transformação na relação entre o consumidor e as empresas. Hoje, o público tem o poder da escolha, ele decide qual informação vai consumir, quando e onde isso vai acontecer.

Porém, agora que o consumidor sabe que tem o poder de consumir a informação que quiser, ele também está mais criterioso com o que vai dar atenção e gastar o seu tempo.

É nesse sentido que o marketing de conteúdo exerce seu poder. E é sobre isso que o Rafael Rez fala no seu livro “Marketing de Conteúdo: A moeda do século XXI”. Ele considera a atenção e o tempo como as duas moedas mais caras, atualmente.

Mas por meio do marketing de conteúdo, você vai conseguir conquistar um público oferecendo a informação que ele busca, e, posteriormente, vai engajá-lo e conduzi-lo por um caminho até que ele compre o quer que você esteja vendendo (ideias, produtos ou serviços).

Ou seja: vai conseguir tempo e atenção para que o público ouça o que você tem a dizer. E não tem nada mais poderoso do que isso.

Mas para muitos, o poder do marketing de conteúdo ainda é desconhecido. E você, sabe a importância de se comunicar bem com o seu público?

Entenda agora a importância do marketing de conteúdo para o seu negócio decolar de vez. Leia esse artigo até o final, pois temos informações cruciais que você precisa saber.

O consumidor acessa a informação que quiser, quando quiser

marketing de conteúdo

Entretanto, é importante entender que não basta apenas sair publicando qualquer conteúdo deliberadamente. Ao romper as limitações do espaço, a internet também trouxe novas relações com a dimensão do tempo.

Como assim? Talvez você não tenha idade para se lembrar disso, mas houve uma época em que as pessoas usavam apenas telefone fixo.

Quando você quisesse falar com uma pessoa, tinha que dar a sorte de ela estar em casa. Caso ela não estivesse, você simplesmente precisava esperar e ligar em outro momento.

Hoje em dia as coisas não são assim; com tantos aplicativos, a comunicação é instantânea. A primeira coisa que fazemos, quando precisamos falar com alguém, é mandar uma mensagem.

Só quando não obtemos resposta da pessoa, e se for um caso de urgência, aí sim decidimos fazer uma ligação.

Isso porque uma ligação te obriga a dedicar atenção unicamente àquela conversa. E quando usamos apenas mensagens, sentimos mais liberdade para fazer outras coisas simultaneamente.

A verdade é que nós, seres humanos, temos uma necessidade insaciável de ocupar nossas mentes. Já reparou que, quanto mais inventamos tecnologias para tornar nossas vidas mais práticas, parece que menos tempo nós temos?

Urgência e simultaneidade: critérios que o marketing de conteúdo atende

Essa instantaneidade que a tecnologia promove nos trouxe um senso de urgência jamais vivenciado. Tudo é para ontem, perdemos a paciência com o simples fato de uma página na web demorar um pouco mais para ser carregada.

Na mesma intensidade, tudo acontece ao mesmo tempo na internet. Enquanto você lê um artigo, vê que recebeu uma mensagem de alguém, ao mesmo tempo que o seu aplicativo de agenda toca um despertador te lembrando de um compromisso.

Essa dinâmica cria uma espécie de fragmentação da temporalidade. Ao passo que queremos resolver tudo na hora (porque a tecnologia nos permite isso), também podemos deixar pra depois, pois podemos resolver quando quisermos.

Para isso ficar mais claro, vamos novamente voltar ao passado…

Imagine que você tenha uma loja de departamento e quer anunciar seus produtos na televisão, para um público adulto.

Seus anúncios deveriam ser veiculados principalmente na parte da noite, que seria o horário que o público-alvo estaria assistindo televisão. E esse público, muito provavelmente, compraria os produtos na sua loja no fim de semana, ou em dias de folga.

Na internet, o tempo não é uma limitação. Pois as pessoas estão conectadas o tempo todo, principalmente através do celular.

Basta o consumidor perceber que tem uma necessidade que, prontamente, ele faz uma pesquisa na internet.

Ele vai ler um pouco mais sobre aquilo que ele quer resolver, e no momento que sentir confortável, pode tomar a decisão de comprar a qualquer momento, apenas com alguns cliques.

O marketing de conteúdo chama atenção nos diferentes momentos do consumidor

marketing de conteúdo

Poucos sabem disso, mas existe um caminho psicológico que um consumidor percorre antes de tomar uma decisão de compra. Isso se chama jornada de compra, e ao longo dela existem diferentes momentos, em que o consumidor tem necessidades distintas de informação.

Para conseguir a atenção do consumidor, é necessário ser incisivo no momento em que ele se encontra. E aqui o marketing de conteúdo cai como uma luva. A jornada de compra do consumidor pode ser traduzida através de um funil de vendas.

Um dos modelos mais clássicos e utilizados pelos profissionais de marketing de conteúdo é o AIDA. Esse modelo é capaz de resumir com clareza quais são as etapas que o seu conteúdo deve atender.

O modelo AIDA categoriza quatro momentos principais:

  • Atenção: nesse momento o consumidor ainda não sabe que tem um problema que precisa ser resolvido e que existe uma solução para ele, ou ainda não despertou para o desejo por algo específico. Essa etapa serve justamente para capturar a atenção do consumidor e fazê-lo parar tudo o que está fazendo para te ouvir;
  • Interesse: nesse momento o consumidor já sabe que precisa procurar por mais informações sobre aquilo que chamou a sua atenção. Assim, ele começa a fazer pesquisas mais aprofundadas, e até mesmo a comparar diferentes marcas ou produtos;
  • Desejo: aqui nesse momento o consumidor já está muito bem instruído. Agora que está informado, passa a desejar mais a solução proposta para os seus problemas ou para os seus desejos;
  • Ação: esse é o momento crucial, onde o seu conteúdo deve direcionar o consumidor para uma ação específica, como efetuar uma compra, fazer uma reserva ou fazer uma ligação para o seu estabelecimento.

Apesar de tudo, esses momentos não acontecem necessariamente nessa ordem. Como já foi dito, na internet tudo acontece ao mesmo tempo. É possível que você encontre possíveis consumidores que já estejam em etapas posteriores da jornada de compra.

A grande vantagem de se elaborar bons conteúdos, que atendam cada uma dessas fases, é que você estará sempre de prontidão para qual for o momento do seu público.

Marketing de Conteúdo: A Moeda do Século XXI

Todos esses conceitos podem parecer um pouco complicados de se aplicar na prática. É necessário identificar e organizar um grande volume de informações para conseguir traduzir isso em uma estratégia concisa e eficiente.

Felizmente hoje temos uma mas maiores obras de marketing de conteúdo à nossa disposição, e em português.

O livro do palestrante e especialista em marketing de conteúdo, Rafael Rez, é uma obra fantástica. Um volume que funciona como um manual prático, explicando passo a passo como você pode usar o conteúdo para atrair a atenção do seu público e engajá-lo com a sua marca.

Essa é uma obra indispensável para qualquer negócio digital que se valorize. Aproveite agora mesmo para adquirir o seu exemplar e não ficar defasado, clicando aqui.

Back to top
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com